sexta-feira, 24 de abril de 2009

Sobre Eros, o amor e o sexo

A força erótica, a força do amor e do sexo parecem separadas e possuem diferentes características, mas são, na verdade, uma só força a mover a humanidade em direção à evolução. Operam em todos os níveis da existência, não só entre homens e mulheres, e são fonte da criatividade e crescimento.

O importante aqui é descobrir os bloqueios ao seu fluxo natural, liberando-as para que elas tomem seu lugar de ordem no nível interior da realidade humana, a "Essência". Como são muito poderosas, seu movimento livre e aberto gera temor por parte da maioria de nós.

Eros é a ponte entre sexo e amor. É o primeiro estágio, é a atração, o desejo, a paixão. Pode ser como uma tormenta, derrubando paredes, levando os humanos à necessidade de unidade. É uma energia que se move por todo o ser, excitando, mudando os ritmos da respiração e do coração, deixando o rosto corado. Eros dá vida, entusiasmo, brilho, alegria. Se faz presente na música, dança, poesia. São as gentilezas, os jogos e brincadeiras de amor, a aventura de descobrir um ao outro, o romantismo e os suspiros dos amantes. Eros é o enlevo, a ode ao amor entre o bem-amado e a bem-amada.

Mas Eros tem vida curta. Se apaga quando não mais se investe energia na relação erótica. Morre também para aqueles que não desejam o comprometimento com o amor, o segundo estágio. Há pessoas que vivem de aventura em aventura, mas quando se vêem forçadas ao trabalho de atravessar a ponte para o amor, desistem.

Outras temem Eros, por toda a carga emocional que a ele está relacionado. Por medo de sofrer, de ser traído, de ser abandonado. Desejam segurança no amor, e assim perdem Eros. Desejam controle, posse do outro, sem saber que Eros morre quando a relação fica aprisionada. Eros precisa da liberdade para viver. Aquele que desejar dependência e aprisionamento do outro ou de si, perde Eros, e com ele todo seu brilho, alegria e vitalidade...

Eros é a eterna descoberta do outro. Quando se pensa que tudo já se sabe, que tudo se conhece do amado ou da amada, Eros se esvazia. É preciso reconhecer que o outro é um universo a ser descortinado. Cada um de nós é um ser sagrado a ser reverenciado, um rei e uma rainha, um deus e uma deusa a se revelar no palco da vida.

No nível transpessoal eros representa o desejo de unificação com Deus, um amor transbordante e sem limites, que o místico e poeta sufi, Rumi, exemplifica tão bem em seus versos. O amor humano e o amor divino se mesclam e já não sabemos quando a poética é sobre um ou sobre o outro, afinal há apenas o Amor:

O Amor é a religião;/O universo, o livro.

Que é o amor?/O mar do não ser:/Lá o intelecto perde o pé.

Não possuo outra morada que o mar;/Não farei de um lago meu habitat./Buscarei o mar ilimitado e estarei em segurança;/Estarei são e salvo para sempre.

Quando os olhos se tornarem aguçados;/Iluminados pela luz da aurora,/Em cada casca se encontrará uma noz./No átomo perceberão o Sol eterno,/Em cada gota d'água,/O Oceano todo inteiro.

O desejo de unificação com outra pessoa é o primeiro passo em direção à unificação com toda a humanidade, com o universo e com Deus.

A força do amor é uma expressão completa e vibrante da vida no universo. É a substância e o movimento de todas as coisas. No ser humano combina sentimentos, inteligência, o ser físico e o espírito. Como emoção deve ser mediado e acionado pela razão e vontade.

Não se pode amar se não houver a intenção de amar, e aqui amor é vontade. Não se pode amar se não houver a compreensão de onde está a separação e a negação em nós, a separação e sentimentos negativos que nos impedem de amar. Então o amor é também intelecto. Descobrindo e aceitando tudo que há dentro de nós, toda luz e sombras, cria-se a possibilidade para que o amor se expresse.

O amor implica em muitas ações: aceitar, compreender, educar, cuidar, tolerar e muitas, muitas outras. O coração é a jóia flamejante da vida, que tem belas cores, emana ondas e inunda o ser humano de mensagens. É, com efeito, um estado de criação.

A sexualidade é uma tremenda força que leva o indivíduo a um estado de unificação com outro ser humano. Sua atração é virtualmente irresistível e existe em todos os domínios e todos os níveis de desenvolvimento da natureza.

Na consciência humana, a experiência sexual representa todos os aspectos e níveis, o corpo, a mente, as emoções e o espírito. Com todos estes níveis unificados surge uma nova realidade, o nível espiritual. Nesta fusão total é possível experimentar uma expansão da consciência que se transforma num movimento criativo, unificando o universo interior ao exterior.

Se o desejo existe apenas no nível físico, a relação logo se apaga. No nível emocional é preciso que haja uma abertura aos sentimentos e realidade da outra pessoa, deixando de lado ilusões e expectativas do que desejamos do outro. É preciso ver o outro por inteiro, em seus aspectos negativos e positivos, sem crítica, sem exagero, sem julgamento. Para tal é preciso que se permita a expressão da verdade. No nível mental é preciso que haja compatibilidade, que haja compreensão de um pelo outro e interesses em comum. Se não houver comunicação a relação acaba por esmorecer. No nível espiritual ocorre a experiência de unidade com a consciência e o ser da outra pessoa.

Mas ao invés da fusão almejada, o que ocorre é a separação das forças do amor, de Eros e da sexualidade nos relacionamentos humanos. Frequentemente apenas uma ou duas destas forças se fazem presentes, Eros e sexo, Eros e amor ou sexo e amor.

Para manter acesa a centelha de Eros e manter vivo o amor, é preciso que a vontade interior continue o processo de revelação. Se você permanece aberto e continua explorando, a si e ao outro, a força de Eros permanece como uma ponte entre o amor e o sexo. O principal elemento para manter Eros é o espírito de aventura, de curiosidade e de revelação do eu, aprendendo-se constantemente sobre o outro e si mesmo. Revelar a alma a outra pessoa é uma viagem maravilhosa, onde Eros é alimentado e transformado em amor. A coragem para essa revelação vem da vontade de amar.

O conhecimento destas forças nos permite compreender o que talvez esteja faltando em nosso relacionamento, e tecer estratégias para corrigir as possíveis falhas. No mínimo podemos encontrar compaixão por nossas escolhas, afinal elas representam o caos ou a luz de nosso universo interno espelhado no rosto do amado.

Mas saiba que o fracasso de um amor não é o fracasso do amor. Saiba que sempre é possível reacender a chama de Eros em uma relação ou em nossa vida. Saiba que o sexo é bom e saudável, sempre que houver respeito, confiança, ternura e verdade em uma relação.

Mas, por favor, não enclausure seu parceiro ou parceira em rótulos e definições, não pense que ele ou ela está fechado em limitações intransponíveis. Saiba que todos nós somos deuses e deusas a se revelar, que estamos todos em um processo de transformação, de um contínuo "vir a Ser"; e que negar este privilégio ao outro ou a nós mesmos, é negar a possibilidade de uma relação plena e feliz, é negar o destino de nossa humanidade!

Nos relacionamos intimamente em pares para que possamos apoiar e despertar ao outro e a nós mesmos para nosso crescimento espiritual. Mesmo quando o outro pisa em nossas feridas e cria limitações para nós, esta é a forma de revelar e espelhar nossas sombras, dores, medos e limitações próprias. Da mesma forma nós criamos desafios para nosso par.

O maior aprendizado é sempre o amor, e realmente aprendemos a amar ao outro na medida em que permitimos que o parceiro ou paraceira caminhe em direção a si próprio, à plena realização de seu Ser.


baseado no livro de John Pierrakos, Energética da Essência

domingo, 19 de abril de 2009

Gayatri Mantra


O Gayatri mantra é, junto com o OM, o mantra mais conhecido e cantado na Índia. Ele representa a essência do conhecimento védico.

Gayatri é um dos aspectos da deusa Saraswati, esposa de Brahma e que representa o seu poder criativo ou shakti. De modo que podemos compreender Gayatri como o aspecto feminino do Criador, representando o potencial de expressão da mente humana.

OM BHUR BHUVAH SVAH (pronuncia-se suarrá)
TAT SAVITUR VARENYAM
BHARGO DEVASYA DHEEMAH (pronuncia-se dimarri)
DHIYO YO NAHA PRACHODAYAT

O mantra não é uma simples oração ou ode a uma deidade específica, mas sim todo um conjunto de conhecimentos profundos e sutis. Uma tradução aproximada do mantra seria "Eu Saúdo aquele Ser, possuidor da efulgência divina e que é a causa e sustentação de todos os planos da existência. Que minha mente esteja sempre fixa e absorvida Nele e que Ele possa iluminar, purificar e inspirar meu intelecto." O Mantra está todo relacionado ao aspecto iluminador e todo abrangente de Deus. Em verdade, nos mostra a natureza essencial de toda a existência.

Num estudo mais aprofundado o mantra se revela como sendo a representação do Sol Espiritual ou a Luz da Consciência. Sem essa Luz não haveria o que ser sustentado ou preservado. Ela é a ponte ou a ligação inquebrantável de Deus com toda a criação, a Presença invisível e subjacente a tudo.Recitá-lo todos os dias confere proteção. É também um pedido pela iluminação de nós próprios e de toda a criação do universo.

Eu gosto de recitá-lo oito vezes (o número do infinito), pedindo por minha própria iluminação, de todos os seres do universo, de minha família, meus amigos e de meus inimigos, desta e de outras vidas. Visualizo todas as pessoas e o planeta recebendo a Divina Luz. O que sinto ao recitá-lo é amor e paz, que me leva a um espaço de pura luz...

terça-feira, 7 de abril de 2009

Saudades de Deus


Encontrei um homem com saudades de Deus. Um dia Deus foi importante em sua vida. Ocupava o primeiro lugar em sua existência. Tudo estava em ordem. Havia paz em seu coração. Paz, fruto de uma vida legal com o próximo e com Deus.

Ontem encontrei este mesmo homem.
O tempo passou. O tempo deu-lhe mais diplomas, mais habilidades profissionais, mais dinheiro, mais fama, mais gente querendo o seu trabalho, deu-lhe tanta coisa mais e tirou-lhe o essencial. Tirou-lhe a alegria de viver, o gosto de viver. Seus olhos diziam que algo lhe faltava. Suas palavras expressavam ansiedade. Suas mãos trêmulas refletiam conflitos, tensões de idéias e emoções, que o feriam dentro de si.

Eis, um homem, pisando o presente e vivendo voltado para o passado.

Há em cada um de nós um paraiso perdido, ou melhor, um paraiso a conquistar. Há em cada um de nós um Deus perdido, ou um Deus a conquistar. Não há maior saudade em nós do que a saudade de Deus. Saudade que se manifesta, que se expressa através da angústia, do vazio sem explicação, da sede da paz, da criança que sorri dentro da gente, da forma da pureza perdida. Encontrei um homem nessa situação.

Há um fila enorme de pessoas com saudades de Deus. Que as boates o confirmem, que o álcool o diga, que os gabinetes de psicanálise e psiquiatria o falem, que as doenças neuróticas o proclamem. na agitação de todos os dias, na falta de tempo para o mais necessário para o único necessário, na luta do dia a dia para alimentar o corpo, para a sobrevivência, surgem pequenas luzes de nostalgia, pequenos raios de saudades de alguém que jamais se deixa por esquecido. Porém nada resolve permanecer na saudade de Deus. Deus é para ser vivido no agora e no sempre.

enviado por Teresa Cristina

Mensagem


Queridos amigos do mundo inteiro:

Os eventos do nosso tempo pedem que cada pessoa interrompa seus afazeres, quaisquer que sejam, e medite profundamente sobre as maiores questões da vida. Procuramos, novamente, não só o significado da vida, mas também o propósito das experiências coletivas e individuais que temos criado. Honestamente, procuramos caminhos pelos quais possamos recriar os seres humanos que somos e pelos quais jamais voltemos a tratar um ao outro da forma como temos feito.

Chegou a hora de demonstrar, ao nível mais elevado, o nosso pensamento mais extraordinário sobre Quem Realmente Somos. Há duas respostas possíveis ao que tem acontecido atualmente. A primeira vem do Amor, a segunda vem do Medo. Se partirmos do medo, poderemos agir pelo pânico e fazer coisas, como indivíduos e como nação, que poderão produzir ainda mais estragos. Se partirmos do amor, encontraremos refúgio e força, quando o oferecermos aos outros.

Este é o momento do seu ministério. Este é o tempo de ensinar. O que você ensinar agora, em cada palavra e ação, permanecerá indelével nos corações e nas mentes daqueles cujas vidas você toca, tanto agora como no futuro. Os rumos do amanhã são decididos hoje. Nesta hora, neste momento, busquemos não o principal culpado, mas a principal causa. A menos que aproveitemos este momento para olhar para a causa de nossa experiência, jamais sairemos da situação que ela cria. Em vez disso, iremos viver sempre com medo da vingança daqueles que, no seio da família humana, sentem-se aflitos e, por isso, agem por vingança.

Para nós, pensadores, as razões são claras: não aprendemos ainda a mais básica das lições humanas. Não nos recordamos da verdade humana mais básica. Não compreendemos a mais básica Sabedoria espiritual. Em suma, não temos ouvido a Deus, e, porque não O ouvimos, vemo-nos fazendo coisas impiedosas.

A mensagem que ouvimos de todas as Fontes da Verdade são claras: Somos Todos Um Só. Esta é a mensagem que a grande maioria da humanidade ignorou. O esquecimento desta Verdade é a única causa do ódio e da guerra, e, para nos relembrarmos disto, é simples: Ame, neste momento e no próximo.

Se pudéssemos amar até aqueles que nos atacam e procurássemos entender as razões pelas quais se deixam levar a praticar tal gesto, qual seria então a nossa resposta? E, ainda, se reagíssemos à negatividade com negatividade, à raiva com raiva, ao ataque com ataque, qual seria o resultado? Estas são as questões para a raça humana hoje. São questões para as quais temos fracassado em dar respostas por milênios.

Nossa incapacidade poderia eliminar a necessidade de dar respostas a essas questões indefinidamente. Se quisermos a beleza do mundo que ajudamos a criar para a experiência de nossos filhos e dos filhos de nossos filhos, temos de nos tornar ativistas espirituais aqui e agora, e fazer com que isto seja a causa dos fatos. Temos de ser a causa nessa questão.

Portanto, fale com Deus hoje. Peça a Deus orientação e conselho, inspiração e força, paz interior e profunda Sabedoria. Peça a Deus no dia de hoje que nos mostre como deveremos nos manifestar para provocar uma mudança no mundo. Junte-se a todas as pessoas do planeta que estão orando agora, adicione sua luz à luz que dissipa todo o medo.

Por favor, procure responder a esta questão hoje, com toda a sua significação. O que você pode fazer HOJE, neste exato momento? O ensinamento central da maioria das tradições espirituais é: proporcione ao outro aquilo que você deseja para si mesmo.

ALGUÉM ESTÁ ESPERANDO POR VOCÊ AGORA. ESTÁ ESPERANDO POR SUA DIREÇÃO, AJUDA, CORAGEM, FORÇA, COMPREENSÃO E CERTEZA NESTE MOMENTO. E, ACIMA DE TUDO, ESTÁ ESPERANDO POR SEU AMOR.

Minha religião é simples, minha religião é a Bondade.


enviado por Ada
Related Posts with Thumbnails