domingo, 3 de outubro de 2010

Sombras: Luxúria

Um dos sete pecados capitais, representa uma busca exacerbada pelo prazer e sexualidade, uma deturpação da sensualidade natural e do amor.

É uma das sombras poderosas da humanidade, e quando não lidamos com as sombras, elas lidam conosco, abrem fogo sobre nossas vidas declarando todo seu poder destruidor.

Sombras são os aspectos de nós que foram reprimidos e julgados feios e inaceitáveis desde a infância. Nem por isso eles desaparecem, antes tornam-se arquivos ocultos e ainda mais poderosos quanto mais reprimidos e negados são. Nos momentos em que baixamos a guarda da consciência - como quando bebemos, eles irrompem de forma irracional e descontrolada. Estas experiências são depois percebidas com vergonha e intensa culpa. De uma forma geral as sombras nos levam a uma vida secreta, elas se alimentam de nossos segredos.

As sombras são como pedaços de nós que se extraviaram, perderam-se no caminho, são nossas crianças desgarradas que se tornaram delinquentes. Não há como esquecê-los ou destruí-los, é preciso reintegrar estas partes de nossa personalidade, e só assim alcançaremos o "self" pleno e curado. Não há também como ter a ilusão de que não possuímos partes de nós relegadas à escuridão, pois a experiência terrestre é justamente a oportunidade de iluminarmos todos os pedaços de nós e retornarmos a origem luminosa e divina.

No caso da luxúria, os aspectos da sexualidade e sua expressão negados e considerados inadequados na infância vem à tona posteriormente, de forma desreprimida ou de forma escondida e camuflada, ou mesmo através de fantasias mentais incofessáveis. De toda forma a sombra está lá, com todo seu potencial assustador, nos provocando a tomar providências urgentes, antes que ela se manifeste, destruindo nossa reputação, relacionamentos, etc.

Mas como toda sombra, a luxúria esconde um luminoso tesouro, entendê-la, abraçá-la, assumi-la, nos permite tomar posse deste tesouro e de toda energia vital que antes estava presa no porão de nossa inconsciência. O que era sombra pode tornar-se um radiante presente, e nos permitir voltar à totalidade de nosso ser, até então fragmentado pela escuridão.

Por trás da luxúria encontramos o desejo verdadeiro e legítimo do amor, amar e ser amado, a entrega bendita ao prazer e a alegria de trocar nossas energias com quem de fato amamos, a sensualidade que é a expressão do amor a si mesmo. Escondida na lama estava a pérola do amor e da vida conjugal.

Mas como buscar este tesouro? Lidar com as sombras não é confortável, temos que tomar consciência de todos os desejos escondidos, garimpá-los nos sonhos, nas projeções do cotidiano. O primeiro passo é sempre tomar consciência, o segundo é assumir com honestidade, o terceiro é estar atento às armadilhas que virão. Então haverá a oportunidade de transformar, o eu observador dirá: "De novo, uma armadilha! Mas desta vez não vou cair, o que desejo fazer com esta situação (com esta fantasia)? O que ela esconde de verdadeiro e humano?"

Permita que suas crianças perdidas de expressem criativamente. Crie, pinte, escreva, exerça um serviço voluntário em que lide diretamente com suas sombras. Ao se expressar criativamente você transforma suas sombras em arte, serviço, em compreensão de tudo que ficou reprimido um dia.

Com amor, compaixão e perdão por nós mesmos, poderemos deslindar a carência afetiva que esteve presente em nossa vida, nossa baixa auto-estima e insegurança, a fantasia romântica e erótica que pretende errôneamente dar alimento a nossa alma, nosso desejo de amar e ser amado que não será saciado em uma relação fugaz, a ilusão que nos afasta da realização da vida e do amor em nossos relacionamentos.

A verdade e compreensão é uma chama que traz a luz para onde havia as sombras.

Ao lidar com compaixão com suas sombras, você passa a ter um olhar amoroso e compreensivo para com as sombras dos outros e de toda humanidade.

Ana Liliam

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails