sábado, 30 de janeiro de 2010

Fernando Pessoa

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos...” (Fernando Pessoa)
enviado por Selme

Maitreya, o buda do futuro

O Buda Vindouro


Maitreya, "o próximo Buda", "o futuro Buda", desempenha muitos papéis nas várias tradições budistas em todo o Extremo Oriente. Não só é o guardião do Dharma, como também um intercessor e protetor, um guru que inicia pessoalmente seus devotos, um mensageiro enviado pela Mãe Eterna para resgatar seus filhos, o Messias que desce à Terra quando o mundo se encontra em tumulto, para julgar os maus e salvar os bons, e, por último, mas não menos importante, ele é o Buda Sorridente.

De acordo com as tradições do Budismo, Gautama Buda profetizou aos seus discípulos que, após o planeta ter-se saturado de trevas, o Senhor Maitreya desceria à Terra para presidir uma era de iluminação. Gautama ensina que o barco do Dharma é o meio que o bodhisattva emprega para resgatar todo ser senciente que está sendo arrastado pelas águas ou se afogando no vasto oceano do samsara.

Maitreya foi considerado por certos grupos do Budismo chinês como o Salvador. Também aparece como o Messias nos ensinamentos do Lótus-Branco do Budismo, religião que começou na China no início do século XIX. Segundo esses ensinamentos, Maitreya foi designado pela Venerada Mãe Eterna para lembrar seus filhos de sua origem sagrada e mostrar-lhes o caminho de volta ao Lar.

Nos Atos de Tiago, no lindo poema gnóstico "O Hino da Pérola" , encontramos um paralelo a essa missão de Maitreya.

O poema descreve a viagem de um príncipe que é enviado pelos seus pais ao Egito para recuperar a Pérola que se encontra no Oceano, em poder da Serpente. Seus pais prometem-lhe que ele herdará o reino quando sua missão for cumprida. Entretanto, o príncipe, compartilhando da comida dos Egípcios, cai no pecado do esquecimento e em seu conseqüente estado cármico de não-consciência. Ele se esquece de que é o Filho do Rei, de sua tarefa, e mergulha num sono profundo.

O Rei e a Rainha, muito preocupados, escrevem-lhe uma carta que voa na forma de uma águia, que pousa ao lado do príncipe e lhe fala.

Assim que ouve as palavras da águia, o príncipe lembra-se de quem é e de sua missão. O príncipe embala a Serpente, pronunciando nas canções o nome do Rei e da Rainha e de seu irmão. A Serpente adormece e então ele recupera a Pérola, retorna ao reino de seu pai e recebe a recompensa.

Essa é a história da nossa alma, que tendo descido das oitavas etéricas, através de várias encarnações, perde a memória de sua origem e missão. É a história de nosso retorno ao Lar de Luz, através do ritual da Ascensão.

Maitreya é a única figura além de Gautama aceita universalmente em todas as tradições budistas. Ocupa um lugar importante entre todos os bodhisattvas, pois é aquele destinado a ser o próximo Buda. Eis porque muitos escritos e várias obras de arte retratam Maitreya como Buda. Já que os eventos na carreira de ensinamentos do Príncipe Ajita (Maitreya, o futuro Buda) moldam-se nos da carreira do Príncipe Sidarta (Sakyamuni, o Buda), é quase impossível, sem inscrições ou evidências contextuais, distinguir entre suas imagens. De qualquer forma, ao admirá-los, encontramos a unidade entre o Guru e o chela.

O Buda que Está Entre Nós

Ao estudarmos os elementos do Budismo histórico, devemos lembrar que Maitreya não nos é tão relevante como um bodhisattva do passado ou um futuro Buda, mas sim como um Mestre Ascenso muito presente em nosso meio, possuidor de plenos poderes e realizações búdicas, que podem nos ser transmitidas por ele através de ensinamentos e iniciações.

Como o Mestre Ascenso que ocupa o cargo de Cristo Cósmico e Buda Planetário, Maitreya nos ensina o mesmo caminho da cristicidade individual que nos conduz à conquista da budicidade, que ensinou a Jesus a mais de 2000 anos.

Em seu ditado de 14 de fevereiro de 1988, Jesus falou de Maitreya como aquele que o enviou na linhagem dos antigos gurus:

Eu vim a este mundo enviado por aquele que me enviou, e quando eu dizia 'Eu e o meu Pai somos um' eu falei do Pai e da vivente Presença do EU SOU, e de seu representante, Aquele que deveria usar o manto de guru. Portanto, aquele que me enviou na corrente da hierarquia dos anciães não era outro senão Maitreya.

Abençoados corações, a continuidade da mensagem de Maitreya vem agora novamente nesta hora a vós, não em um indivíduo escolhido, mas através de vós, e através da sagrada chama crística...
Venham ao meu coração e conheçam-me como o Filho, o Raio de Sol de Maitreya. Saibam, portanto, que minha missão, ter vindo antes dele, assim como João Batista veio antes de mim, foi a de limpar o caminho para a vinda do Cristo Universal em todos os Filhos de Deus na Terra.

Quando adiamos a vinda de Maitreya ou sua Presença em nós porque estamos preocupados com a nossa existência humana, até mesmo por apenas cinco minutos, enredamo-nos na mentira da procrastinação, que desloca o Buda Planetário e o Cristo Cósmico de onde estamos.

Vivemos no Eterno Agora em um momento crucial nos ciclos planetários e neste "pedaço" de eternidade; nós nos determinamos a deixar nossa marca no tempo, no espaço. E então, aceitamos hoje a fusão de nossos seres com o Cristo que é Jesus, o Cristo que é Maitreya.

"Agora é a hora certa, agora é a hora da salvação", gritou Paulo. Porque não temos mais tempo, só o agora. Nós não vivemos ontem, nós não vivemos amanhã, nós só vivemos hoje.
enviado por Cristina

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Defendendo-se das energias negativas


Todos nós sabemos as energias negativas são uma das maiores preocupações
do ser humano. Procurar fugir delas é besteira. Ela nos alcança em qualquer
lugar do planeta. Contudo, podemos nos defender, começando a tomar uma
série de atitudes e providências. Abaixo seguem seis dicas pessoais para
começar a combatê-las:

1. NÃO TEMER NINGUÉM

Uma das armas mais eficazes na subjugação de um ser é impingir-lhe o medo.
Sentimento capaz de uma profunda perturbação interior, vindo até a provocar
verdadeiros rombos na aura, deixando o indivíduo vulnerável a todos os
ataques. Temer alguém significa colocar-se em posição inferior, temer
significa não acreditar em si mesmo e em seus potenciais; temer significa
falta de fé.

O medo faz com que baixemos o nosso campo vibracional, tornando-nos
vulneráveis às forças externas. Sentir medo de alguém é dar um atestado de
que ele é mais forte e poderoso. Quanto mais você der força ao opressor,
mais ele se fortalecerá.

2. NÃO SINTA CULPA

Assim como o medo, a culpa é um dos piores estados de espírito que existem.
Ela altera nosso campo vibracional, deixando nossa aura (campo de força)
vulnerável ao agressor. A culpa enfraquece nosso sistema imunológico e
fecha os caminhos para a prosperidade. Um dos maiores recursos utilizados
pelos invejosos é fazer com que nos sintamos culpados pelas nossas
conquistas. Não faça o jogo deles e saiba que o seu sucesso é merecido.
Sustente as suas vitórias sempre!

3. ADOTE UMA POSTURA ATIVA

Nem sempre adotar uma postura defensiva é o melhor negócio. Enfrente a
situação. Lembre-se sempre do exemplo do cachorro: quem tem medo do animal
e sai correndo, fatalmente será perseguido e mordido. Já quem mantém a
calma e contorna a situação pode sair ileso. Ao invés de pensar que alguém
pode influenciá-lo negativamente, por que não se adiantar e influenciá-lo
beneficamente? Ou será que o mal dele é mais forte que o seu bem? Por que
será que nós sempre nos colocamos numa atitude passiva de vítimas? Antes
que o outro o alcance com sua maldade, atinja-o antecipadamente com muita
luz e pensamentos de paz, compaixão e amor.

4. FIQUE SEMPRE DO SEU LADO

A maior causa dos problemas de relacionamentos humanos é a "Auto-Obsessão".

A influência negativa de uma pessoa sobre outra sempre existirá enquanto
houver uma idéia de dominação, de desigualdade humana, enquanto um se achar
mais e outro menos, enquanto nossas relações não forem pautadas pelo
respeito mútuo. Mas grande parte dos problemas existe porque não nos
relacionamos bem com nós mesmos.

"Auto-Obsessão" significa não se gostar, não se apoiar, se autoboicotar, se
desvalorizar, não satisfazer suas necessidades pessoais e dar força ao
outro, permitindo que ele influencie sua vida, achar que os outros merecem
mais do que nós. Auto-obsediar-se é não ouvir a voz da nossa alma, é dar
mais valor à opinião dos outros.

Os que enveredam por esse caminho acabam perdendo sua força pessoal e abrem
as portas para toda sorte de pessoas dominadoras e energias de baixo nível.
A força interior é nossa maior defesa.

5. SUBA PARA POSIÇÕES ELEVADAS

As flechas não alcançam o céu. Coloque-se sempre em posições elevadas com
bons pensamentos, palavras, ações e sentimentos nobres e maduros.

Uma atmosfera de pensamentos e sentimentos de alto nível faz com que as
energias do mal, que têm pequeno alcance, não o atinjam. Essa é a melhor
forma de criar "incompatibilidade" com as forças do mal. Lembrem-se:
energias incompatíveis não se misturam.

6. FECHE-SE ÀS INFLUÊNCIAS NEGATIVAS

As vias de acesso pelas quais as influências negativas podem entrar em
nosso campo são as portas que levam à nossa alma, ou seja, a mente e o
coração. Mantenha ambos sempre resguardados das energias dos maus
pensamentos e sentimentos, e fuja das conversas negativas, maldosas e
depressivas.

Evite lugares densos e de baixo nível. Quando não puder ajudar, afaste-se
de pessoas que não lhe acrescentam nada e só o puxam para o lado negativo
da vida. O mesmo vale para as leituras, programas de televisão, filmes,
músicas e passatempos de baixo nível.

enviado por Izabel
Related Posts with Thumbnails