domingo, 20 de fevereiro de 2011

A menina que foi ao encontro de Deus

Acompanhei a luta da pequena Mariana durante três meses, fui mais uma de suas amigas virtuais. Enviei as mensagens de sua avó Jacinta aos meus amigos, e aumentamos esta corrente de preces pela cura da menina. Mas tudo tem seu propósito, e Mariana partiu após dois meses de luta no CTI, após o transplante...
Abaixo segue o belo texto de Ivan, que está em seu blog, e que aqui reproduzo, aumentando ainda mais a corrente de homenagens a esta pequena menina guerreira! Fica aqui o apelo para que mais pessoas se cadatrem como doadoras de medula óssea.

Ana Liliam

 
Ivan Jubert Guimarães (16/02/2011)

Jesus chamou: “Vinde a mim as criancinhas!” E ela atendeu ao chamamento do Mestre e O seguiu.

Foi uma santa guerreira, como Joana D’Arc. Outra menina que foi cedo ao encontro do Pai.

Tive a felicidade de conhecê-la pessoalmente, de passear com ela, de ouvir seu riso e de ver seus olhinhos examinando tudo ao redor.

Acompanhei a saga da família e da menina. Foi uma luta e tanto que a santinha guerreira ia vencendo com valentia. Foram meses à espera de um doador de medula óssea que não apareceu e seu transplante ocorreu graças a um cordão umbilical vindo de outro país.

Confesso que nunca vi uma corrente de orações tão forte destinadas a uma única santinha. Pessoas das mais variadas religiões oravam pela pequena nas igrejas, nos centros espíritas e até mesmo em suas casas.

Conheci a família, as avós, o pai, o irmão e a mãe. Esta outra guerreira. Descobri, então, que coragem é hereditária.

Mariana lutou bravamente contra uma leucemia e a venceu no último round. O corpo debilitado, entretanto, ficou vulnerável a infecções, mas a santinha guerreira continuou lutando bravamente. Após cada vitória, um tropeço causado pela fadiga. Seu corpo foi tomado por bactérias que nem mesmo os mais potentes antibióticos conseguiam combater. Ela lutou com denodo, com coragem e com uma força descomunal até ouvir o chamado de Jesus. E ela se foi!

Quando uma criancinha parte, sabemos que os anjos a conduzem mais rapidamente ao reino dos céus. Crianças não passam pelos umbrais e não ficam presas à matéria deste plano tridimensional. Levitam ao encontro de Deus.

Esta menina me ensinou muitas coisas, como perseverança, coragem, alegria. Apesar do triste final desta história foram momentos felizes para mim que pude conhecer pessoalmente pessoas maravilhosas. Mariana conseguiu unir pessoas que ela nunca viu, pessoas que nunca a viram. Claro que derramei lágrimas, que me isolei, mas eu entendia que a vontade do Pai fora satisfeita.

Agora, menina querida, que seu corpinho está livre dos bichinhos que tanto a maltrataram, agora que seu corpinho está livre das picadas das injeções, das punções nas veias, você pode sorrir outra vez. Você é uma vencedora, uma autêntica campeã que em apenas quatro anos de vida formou um grande exército em torno de si.

Eu agradeço a você a oportunidade de ter deixado que eu a conhecesse e eu juro minha pequena que um dia ainda nos encontraremos, isto se eu tiver o merecimento de também estar perto de Deus.

Até qualquer dia Mariana!

Ivan Jubert Guimarães

http://www.pensamentoliberal.com.br/homenagens/a_menina_que_foi/a_menina_que_foi.htm

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails