sexta-feira, 20 de maio de 2011

Adão e Eva adormecidos no paraíso


Adão e Eva decidiram provar do fruto da árvore do conhecimento - uma vez que no paraíso só havia a possibilidade do bem, e eles desejavam conhecer e viver no livre arbítrio e escolher entre o bem e o mal -, o que a história não conta é que a maçã era indigesta e que eles cairam em um profundo sono desde então...

Não sabemos deste fato, porque quem contou a história também estava dormindo! Nesta nova versão Adão e Eva representam a humanidade que decidiu viver o livre arbítrio, e que para isto pagou o preço de esquecer de sua origem divina - esta é a perda do paraíso. Órfãos de Deus em seu esquecimento, a humanidade defrontou-se com o medo e a dor em um mundo inóspito, e a partir daí criou suas defesas e vive a ilusão de estar separada, uns dos outros, e separados de Deus e de toda criação.

Mas de fato nada disso ocorreu... O mundo apartado do Criador não passa de um mundo de ilusões, um sonho ou pesadelo vivido por cada um de nós. Tudo aqui só nos parece real enquanto dormimos, como nos sonhos que sonhamos, e nos quais acreditamos, mesmo que terríveis sejam, até o momento de nosso despertar, para afirmar: foi só um sonho!

Imagine que este sonho vai mais além, abrange tudo o que chamamos realidade, envolve a inúmeros outros indivíduos/sonhadores, e cria um mundo espetacular em mirídades de realidades menores nas quais nos deslocamos através do campo de afinidade de nossas crenças. O mundo funciona como uma grande sala de espelhos! Reflete a realidade interior que trazemos e moldamos em inúmeras vidas/sonhos nesta nossa experiência terrena.

Um dia vamos todos despertar, e alguns já estão despertos e chamam todos a este novo acordar. Um dia compreenderemos que tudo foi um sonho, e que afinal nossos pecados já estão todos perdoados, até porque nunca existiram de fato! Um dia perceberemos que todos os horrores que contemplamos neste mundo, mesmo que pela TV, jamais existiram tampouco, e que tudo está perdoado! Neste dia nos sentiremos realmente aliviados!

No entanto este perdão absoluto só está disponível para quem está neste momento despertando, enquanto todos os outros ainda acreditam em seus erros, em seus crimes, nos erros e crimes cometidos no mundo, e longe do perdão fomentam mais dor e vingança no mundo.

Acordar significa reencontrar o paraíso perdido, ingressar num mundo de paz e luz, onde todos seremos felizes afinal. Acordar também significa deixar para trás todas as crenças errôneas nas quais construímos nossas defesas e muros de lamentação e dor. Acordar é viver um longo processo de perdão, a nós, ao mundo, a todos - foi tudo um sonho onde já não faz mais sentido ferir ou sentir-se ferido. Da alma imortal pedaço algum pode ser retirado.

Despertar é não mais estar sujeito as leis deste mundo, mas a leis maiores e benignas. Despertar é não mais crer em um mundo de medo e dor, mas crer acima de tudo em um mundo de amor e paz, ao qual temos direito.

Permanecer adormecidos é continuar na roda do Sansara, em um nascer e renascer sem fim, é viver enredados nos véus da ilusão da matéria, é estar sujeito a lei do karma interminavelmente... Para acordar é preciso querer descobrir a verdade que há escondida em muitos véus, é preciso buscar fundo em nós mesmos esta verdade, e os caminhos se abrirão para nós.

Acordar tem sido para bem poucos até então, e talvez estes sejam chamados de loucos, mas o mundo como vemos não é uma loucura maior?

este texto se encontra de acordo com Um Curso em Milagres, Ana Liliam

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails