quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

ENCAREM A VOSSA POEIRA – ESTA LIBERTAR-VOS-Á




Mensagem de Dana Mrkich
22 de janeiro de 2013


É um facto energético da vida que sempre que nos comprometemos
com uma nova intenção tudo o que dentro de nós não esteja em
sintonia com essa nova intenção vem à superfície. E vem porque
está a responder à nossa intenção.

Vem para que o possamos reconhecer, tratar, aprender tudo o que
ainda temos a aprender com isso e, por fim, transformar-se ou
 libertar-se. A nossa nova intenção pode, assim, manifestar-se sem
qualquer autossabotagem ou bloqueios no caminho.

Portanto, este “vir à superfície” é uma coisa boa mas, à medida que
emerge podemos sentir-nos sufocados pela poeira que está a
levantar-se e isto parece-nos uma coisa “má”.

A um nível pessoal as nossas novas intenções de gratidão
fizeram-nos confrontar com uma barragem de contas inesperadas
e uma cabeça cheia de medos, pensamentos orientados para a
carência. O nosso compromisso para com uma aceitação mais
profunda cria uma abundância de raiva e de ressentimento que
esteve latente sob a superfície durante anos.

A nossa decisão de procurarmos um trabalho pleno de significado
é atendida pela oferta de uma promoção no nosso emprego atual
e a nossa resolução de nos abrirmos para a nossa alma gémea
muitas vezes convida a telefonemas de ex-namorados. O nosso
desejo de mais criatividade e paixão ativa um ataque de
insegurança e depressão.

Esta “poeira” que tem sido levantada é muitas vezes mal interpretada
pelas pessoas como “As minhas intenções não estão a funcionar!
Tudo está igualmente mau como sempre, se não pior!”Entretanto,
a nossa energia deve sentir-se muito frustrada porque pensa que
nos está a ajudar da melhor maneira possível e nós estamos a
sentir-nos como se nos estivéssemos a sabotar ou a ignorar.

A nossa energia ajuda-nos fazendo brilhar um holofote em cada
canto do nosso ser como resposta direta às nossas intenções. Ela
realça e amplia cada crença, cada padrão de pensamento, cada
experiência passada, cada memória celular e cada aspeto da
personalidade que esteja ligado à nossa intenção, incluindo as
maneiras pelas quais aquelas partes de nós estão a trabalhar contra
a nossa nova intenção.

Este holofote está a mostrar-nos: Olha, é nisto que tu acreditas,
é assim que pensas, esta é a tua parte que criou essa velha realidade,
e aqui está a parte de ti que precisa de despertar se quiseres criar
a diferença, uma nova realidade.

A nossa energia segura os espelhos na nossa frente: Olha, é assim
que te vês; é assim que te sentes contigo mesmo(a), isto é que achas
que mereces, isto é o que atraíste e porquê.

Este processo acontece-nos individualmente, e está a acontecer
neste momento muito intensamente a um nível coletivo. Como
sociedade estamos a ser chamados para um nível de intenções
mais elevado relativamente à forma como queremos que o nosso
mundo pareça e o sintamos.

Portanto, estamos a ser confrontados com todas as muitas maneiras
 pelas quais os sistemas no nosso mundo estão a trabalhar contra
essas intenções. Aparentemente, um período de grande transformação
 parece e sente-se como se estivéssemos no meio de um edifício que
está a desabar à nossa volta, sufocando-nos com a poeira.

Quando olhamos e sentimos a partir de um espaço de maior
consciência sabemos que esta “poeira” é uma coisa boa, um sinal
positivo de que o velho está a partir e o novo a despertar e a subir.

Se criarem o que está dentro de vós, o que criarem salvar-vos-á.
Se não criarem o que está dentro de vós, o que não criarem
destruir-vos-á.

– Gospel of Thomas

Viver de uma forma mais consciente como indivíduo e como sociedade,
exige força e coragem. Exige força e coragem porque as verdades que
são reveladas como parte do processo são muitas vezes mais fáceis
de manter afastadas a curto prazo.

No entanto, a longo prazo, aquilo que optamos continuar a negar e
ignorar tem a capacidade de nos fazer adoecer ou sentir-nos presos
 numa realidade de potencial não cumprido. Por outro lado, aquilo
que, corajosamente, optamos por encarar detém a chave para nos
ajudar a catapultar para uma nova forma de viver e de ser.

Prestem atenção neste momento ao que está a chamar a vossa atenção.

Como as vossas intenções vêm de um lugar superior, tudo o que não
estiver em sintonia irá parecer mais alto, mais pesado e mais difícil de
suportar até ser confrontado. Podem estar certos de que seja o que for
que esteja a parecer “alto” e “pesado” para vós neste momento é a
“poeira” que precisam de ver, a poeira é uma resposta direta às
intenções que colocaram, ou desempenharam uma parte ao colocá-las
em conjunto com o coletivo.

Não descartem ou ignorem a poeira nem deixem que esta vos sufoque
até os subjugar.
Perguntem-lhe o que ela vos está a querer dizer.

Que pensamentos está a pedir-vos para mudarem?
Que emoções vos está a pedir para sentirem?
Que medidas está a querer que tomem?
Que verdade está a pedir-vos para relembrarem e se voltarem a
comprometer?

Abençoem a poeira, porque esta está a mostrar-vos a verdade e – sim,
tenho que tocar nesse ponto – a verdade libertar-vos-á.

A verdade libertar-nos-á a todos.

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails