segunda-feira, 8 de abril de 2013

Pirâmides na Bósnia


Interessante, no entanto precisamos de mais estudos sérios à respeito.
A formação polêmica, ao lado da cidade bósnia de Visoko: especialistas dizem que nenhuma civilização europeia seria capaz de construir uma pirâmide desse tipo há 35 mil anos
Enquanto eles ficam escondidos dentro da caixa, os arqueólogos tradicionais nunca serão capazes de explicar a ferramentaria e a logística necessários, e conhecimentos avançados de engenharia para construir cabeças de pedra na Ilha da Páscoa, pirâmides com blocos de granito de forma complexa  em Akapana na Bolívia ou criar câmaras internas nas três pirâmides de Gizé, no Egito, as maiores construções jamais feitas no planeta pelo homem “moderno”. Esferas de pedra do oeste do México, sul da Costa Rica , Ilha de Páscoa ou em vinte locais em remotas regiões da Bósnia-Herzegovina, são a prova evidente de compreensão e manipulação de formas e de energia em um passado distante que nós ainda não somos capazes de reproduzir.
No topo de tudo isso, a descoberta do Vale Bósnio das Pirâmides está nos dizendo que nós ainda não sabemos muito sobre o nosso Planeta. Poderíamos ir à Lua (temporariamente, até sermos ameaçados ), mas ainda precisamos explorar nossa Mãe Terra. Muitos segredos ainda esperam para serem descobertos e, com o conhecimento antigo, nos ajudarem a alcançar e trazer o equilíbrio de volta para a nossa humanidade atual. 
Em abril de 2005, eu viajei pela primeira vez para a cidade de Visoko, 20 km do noroeste de Sarajevo, a capital da Bósnia-Herzegovina. Minha atenção foi chamada por dois morros de forma regular (simétrica), o que eu mais tarde chamaria as Pirâmides do Sol e da Lua da Bósnia . Por milhares de anos os habitantes locais têm considerado os montes como sendo fenômenos naturais, porque eles foram cobertos por terra e vegetação. No entanto, quando vi pela primeira vez a face triangular, os óbvios cantos e a orientação para os pontos cardeais, eu sabia que aquilo tinha que ter sido construído por uma outra força qualquer do que a natureza. Desde que eu sempre estive investigando pirâmides ao longo de décadas, eu sabia que as pirâmides encontradas na China, México, Guatemala e El Salvador tinham o mesmo tipo de solo e cobertura vegetal.
Em 2005, o trabalho começou neste projeto e empresas de construção e geólogos foram contratados e pagos (de meu próprio bolso) para fazer perfuração de núcleo e análise geomorfológica. Em seguida, anunciamos ao mundo, em uma conferência de imprensa, que as primeiras pirâmides na Europa tinha sido descobertas. 
Escultura em cerâmica “K-2″ no labirinto subterrâneo pesando cerca de 18.000 lbs.
Pouco tempo depois foi estabelecida, sem fins lucrativos, um Parque Arqueológico: Bosnian Pyramid of the Sun Foundation-Fundação Pirâmide do Sol da Bósnia e desde então as investigações da pirâmide na Bósnia se tornou o maior  projeto interdisciplinar arqueológico do mundo. Nós gastamos mais de 340.000 horas-homem em escavação arqueológica, testes por amostragem e datação por radiocarbono no período de 2005 a 2011. Determinou-se que o Vale das Pirâmides da Bósnia é composto por cinco pirâmides descobertos até hoje que eu nomeei assim: as pirâmides bósnias do Sol, da Lua, do Dragão, da Mãe Terra e do Amor. O local das escavações  também inclui um complexo de túmulos e um enorme labirinto subterrâneo.
Esta descoberta é histórica e muda o conhecimento da história antiga da Europa por várias razões:
  • Estas são as primeiras pirâmides descobertas na Europa
  • O site inclui a maior estrutura de pirâmide do mundo-A pirâmide bósnia do Sol com a sua altura de mais de 220 metros é muito maior do que a Grande Pirâmide do Egito (147 metros).
  • A pirâmide  do Sol na Bósnia tem, segundo o Instituto Bósnio para Geodésia, a orientação mais precisa para o norte cósmico com o erro de zero graus, zero minutos e 12 segundos (0′,0”,12).
  • A pirâmide bósnia do Sol é totalmente coberta por blocos de concreto retangular. As propriedades do concreto, incluindo extrema dureza (até 133 MPs) e baixa absorção de água (cerca de 1%), são, de acordo com as instituições científicas na Bósnia, Itália e França, muito superior aos modernos materiais de  concretos.
  • As pirâmides são cobertas pelo solo que tem, de acordo com o Instituto de Agro-geologia da Bósnia, aproximadamente 12.000 anos de idade. Datação por radiocarbono a partir do terraço pavimentado na Pirâmide da Lua bósnia, realizada pelo Instituto de Física da Silésia Instituto de Tecnologia de Gliwice (Polônia) confirmou que a esplanada foi construída 10.350 anos atrás (+ / – 50 anos). Estes resultados confirmam que as pirâmides bósnias são também as mais antigas pirâmides conhecidas no planeta.
  • Abaixo da Vale Bósnio das Pirâmides há um túnel subterrâneo e extensa rede de câmaras que se estende por um total de mais de 10 milhas.
  • Esculturas de cerâmica foram descobertas no labirinto subterrâneo com uma massa de até £ 20.000, o que os torna o mais pesado e maior encontrado até agora do mundo antigo.
Equipes de escavação trabalham na esplanada pavimentada na Pirâmide da Lua.
A lista das maravilhas em arqueologia encontradas na BÓSNIA não termina aqui. Nos arredores, descobrimos o mais alto túmulo do Mundo até aqui: 61 metros de altura. Seu concorrente mais próximo, Sillbury Hill na Inglaterra é de 60 metros de altura. O túmulo bósnio é composto por duas camadas de terraços megalíticos, uma camada de argila e uma camada de concreto artificial .
Uma equipe de físicos detectou um feixe de energia que vem e sobe através do topo da pirâmide bósnia do sol. O raio do feixe é de 4,5 metros com uma frequência de 28 kHz. O feixe é contínuo e sua força cresce à medida que se move para cima e para fora da pirâmide. Esse fenômeno contradiz as leis conhecidas da física e da tecnologia. Esta é a primeira prova de  tecnologia não-herziana no Planeta.
 A Pirâmide bósnia do Sol ainda emite energia pelo seu topo.
Parece que os construtores das pirâmides criaram uma máquina de movimento perpétuo há muito tempo e esta “máquina de energia” ainda está trabalhando. No labirinto subterrâneo, em 2010, descobrimos três câmaras e um pequeno lago azul.  Uma triagem da energia mostra que o nível de ionização é de 43 vezes maior que a concentração média normal o que torna as câmaras subterrâneas em verdadeiras “salas de cura”.
Mais medições e detecção eletromagnética feitas em 2011 confirmaram que os níveis de radiação negativo através da grade de Hartman, Curry e  Schneider são iguais a zero nos túneis. Não havia nenhuma radiação técnica (a partir de linhas de energia e / ou outra tecnologia) encontrados nos túneis e nenhuma radioatividade cósmica. Esculturas de cerâmica estão posicionadas sobre os fluxos de água subterrânea e a energia negativa é transformada em positiva. Todas essas experiências apontam para o labirinto subterrâneo como uma das construções subterrâneas mais seguras  no mundo e isso torna o local ideal para o rejuvenescimento do corpo e regeneração física.
Duzentos anos de egiptologia não produziu uma resposta satisfatória para a questão de qual foi o real propósito das pirâmides de Gizé, as mais antigas e superiores.
Em apenas seis anos, a nossa pesquisa na Bósnia aplicou métodos científicos interdisciplinares, para olhar para este complexo através das dimensões física, energética e espiritual. Nós temos tido resultados pioneiros no que afeta toda a esfera do conhecimento e da Ciência sobre Piramides. A nossa história está mudando com cada nova descoberta.
Talvez mudando o nosso começo (da história), as nossas origens ou aprendendo a entender melhor as nossas origens também poderemos mudar o nosso presente e o nosso futuro para melhor.

Dr. Sam Semir Osmanagich é  membro estrangeiro da Academia Russa de Ciências Naturais e  Professor de Antropologia na Universidade Americana na Bósnia-Herzegovina.
Postado originalmente em setembro de 2012.
Permitida a reprodução desde que mantida a formatação original e a citação das fontes.

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails