quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

12 maneiras de jogar energia fora

http://corpoinconsciencia.com/2013/08/03/12-maneiras-de-jogar-energia-fora/




Todas as vezes que escrevo sobre energias, mais precisamente sobre o relacionamento energético entre os seres humanos, recebo dezenas de mensagens de leitores reclamando e pedindo soluções para o roubo de energia. Essas pessoas sempre apontam colegas de trabalho, familiares, amigos e determinados locais como os responsáveis pela sua debilidade energética. Não posso negar que realmente existem pessoas complicadas e ambientes não muito agradáveis.

Hoje chamaremos a atenção de vocês para alguns aspectos importantes. Por mais que existam pessoas desequilibradas e difíceis nós é que somos responsáveis pelas nossas energias e cabe a cada um de nós preservá-la e administrá-la da melhor forma possível. Existem “receitinhas”, orações, banhos, cristais e um arsenal de proteção, que são válidos e eficientes até um certo ponto. Porque aquele que não assume a responsabilidade por suas venturas e desventuras sempre estará vulnerável às energias ao seu redor.

Sabe por que o outro rouba a sua energia? Porque você deixa a porta aberta!!! E depois ainda diz que a culpa é do outro… Para ajudar a refletir, fiz uma listagem de doze atitudes (e olhe que a lista é imensa!) que gastam uma tremenda energia vital. Uma vez desvitalizado e sem proteção fica fácil para qualquer um chegar perto e perturbar seu equilíbrio. Use esta listagem também para pensar porque a prosperidade às vezes passa longe de você. A energia que seria usada para atrair o bem, a felicidade, o amor, o dinheiro acaba sendo gasta de forma inadequada. Confira a listagem e veja o que precisa ser modificado em sua vida!

1. A FALTA DE CUIDADO COM O CORPO E HÁBITOS

Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis, exercícios físicos e o lazer sempre são colocados em segundo plano. A correria da vida diária e a competitividade das grandes cidades faz com que acabemos negligenciando aspectos básicos para a manutenção de nossa saúde energética. Quando a saúde física está comprometida, a aura se ressente, ficando menor e menos brilhante, comprometendo nosso sistema de defesa energético. Os exercícios físicos são sempre úteis por nos ajudar a movimentar e eliminar as energias estáticas. As pessoas que são dependentes químicos apresentam verdadeiros rombos na aura e isso as predispõe a toda sorte de assédios espirituais e vampirismo energético.

2. PENSAMENTOS OBSESSIVOS.

Pensar gasta energia e todos nós sabemos disso: ficar remoendo um problema cansa mais do que um dia inteiro de trabalho corporal. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos e esse é, aliás, um mal do homem ocidental, torna-se escravo da mente e acaba gastando muita energia. Pensamos tanto que não sobra vitalidade para tomar uma atitude concreta e, o pior, alimentamos ainda mais o conflito.

Devemos não só estar atentos ao volume de pensamentos, mas também à qualidade deles. Pensamentos positivos, éticos e elevados nos recarregam, ao passo que a negatividade e pessimismo consomem energia e atraem mais negatividade para nossas vidas. Observe: pensando você conseguiu resolver o problema? Quase sempre a resposta é ‘não’. Então, mude de atitude.

Relaxe, use uma música suave e entregue o problema para o universo resolver. Mesmo que isso aconteça apenas por alguns poucos minutos. Durante esse tempo sua mente estará descansando. Quando a mente silencia, permite que sua intuição, seu anjo da guarda, Deus, Eu Superior ou o que você acreditar, converse com você e lhe traga inspiração e criatividade e isso se reverte em mais energia. Os meus alunos têm semanalmente 2 horas para fazer isso, o resultado é muito bom. Que privilégio, não?!!!!

3. SENTIMENTOS TÓXICOS.

Se você sofre um choque emocional ou sente uma raiva intensa, pode estar certo, até o final do dia estará simplesmente esgotado energeticamente. Juntamente com a raiva você queimou altas doses de sua energia pessoal. Imagine agora um ser que nutre ressentimentos e mágoas, às vezes durante anos seguidos. De onde você acha que vem o combustível para alimentar esses sentimentos tão densos? Não é à toa que muitas dessas pessoas ficam estagnadas e não são prósperas, afinal, a energia que alimenta o prazer, o sucesso e a felicidade está sendo gasta na manutenção de sentimentos negativos.

Medo gasta energia, culpa também, já a ansiedade descompassa a vida. Por outro lado, os sentimentos positivos e elevados, como a amizade, o amor, a confiança, o desprendimento, a solidariedade, a auto-estima e principalmente a alegria e bom humor recarregam nossa energia e nos dão força para empreender projetos e superar obstáculos.

4. FUGIR DO PRESENTE.

Onde eu coloco a minha atenção aí coloco a minha energia. É tendência freqüente do ser humano achar que no passado as coisas eram mais fáceis: ‘bons tempos aqueles!”. Tanto os saudosistas, que se apegam aos prazeres do passado, quanto aqueles que não conseguem esquecer os traumas e desatinos de tempos atrás, estão colocando suas energias no passado.

Por outro lado temos os sonhadores ou aqueles que vivem numa eterna expectativa do futuro, depositando nele sua felicidade e realização. Viver no tempo passado ou futuro faz com que sobre pouca ou nenhuma energia no tempo presente. E é somente no presente que você constrói sua vida. O passado e o futuro dependem unicamente do seu momento presente. Aquele que vive sempre no tempo errado não tem em mãos uma dose de energia suficiente para se proteger das energias e locais densos.

5. FALTA DE PERDÃO.

Perdoar significa soltar. Soltar ressentimentos, mágoas, culpas. Soltar o que aconteceu e olhar somente para a frente e viver o presente. Quanto mais perdoamos, menos bagagem interior carregamos e gastamos menos energia alimentando feridas do passado. Mais do que uma regra religiosa, o perdão é uma atitude inteligente daquele que busca viver bem e quer seus caminhos livres e abertos para a felicidade. Aquele que não sabe perdoar os outros e a si mesmo, fica ‘energeticamente obeso’, carregando fardos do passado e isso requer muita energia.

6. MENTIRA PESSOAL.

Todos nós mentimos ao longo de nossas vidas e sabemos quanta energia é gasta posteriormente para sustentar a mentira e, quase sempre, acabamos sendo pegos. Imagine agora quando ‘você é a mentira’. Quanta energia gastamos para sustentar caras, poses, desempenhos que não são autênticos!!! Somos educados para desempenhar papéis e não para sermos nós mesmos. A mocinha boazinha, o machão, a vítima, a mãe extremosa, o corajoso, o pai enérgico, a mártir, o intelectual, a lista é enorme. Quando somos nós mesmos a vida flui e tudo acontece com pouquíssimo esforço. O mesmo não é válido quando queremos desempenhar um papel que não é o nosso.

7. VIVER A VIDA DO OUTRO.

Ninguém vive só, através dos relacionamentos interpessoais evoluímos e nos realizamos. Mas é preciso ter noção de limites e saber amadurecer também nossa individualidade. Esse equilíbrio que traz senso de limite e respeito por si e pelo espaço do outro nos resguarda energeticamente e nos recarrega. Quem cuida da vida do outro, sofrendo seus problemas e interferindo mais do que é recomendável, acaba não tendo energia para construir sua própria vida. O único prêmio, nesse caso, será a frustração. Quando interferimos na vida alheia, nos misturamos com o carma negativo do outro e trazemos isso para nossa vida.

8. BAGUNÇA E PROJETOS INACABADOS.

A bagunça afeta de forma muito negativa as pessoas, causando confusão mental e emocional. Um truque bem legal para os períodos confusos é arrumar a casa, os armários, gavetas, a bolsa, os documentos e tudo o que mereça uma boa faxina. À medida em que ordenamos e limpamos os objetos, também colocamos em ordem a mente e o coração. Pode não resolver o problema, mas nos ajuda bastante e traz um grande alívio.

Outra forma bem eficiente de perder energia é não terminar tarefas. Todas as vezes, por exemplo, que você vê aquela blusa de tricô que não concluiu, ela lhe diz inconscientemente: “você não me terminou! Você não me terminou! E isso gasta uma energia tremenda! Ou você termina definitivamente a blusa ou livre-se dela e assuma que não vai terminá-la. O importante é tomar uma atitude.

O desenvolvimento do auto-conhecimento, da disciplina e da determinação farão com que você não invista em projetos que não serão concluídos e que apenas consumirão tempo e energia.

E lembre-se, bagunça e sujeira são ótimas moradas para energias densas e desarmoniosas.

9. AFASTAMENTO DA NATUREZA.

A Natureza é nossa maior fonte de alimento energético e, além de nutrir, também nos limpa das energias estáticas e desarmoniosas. O homem moderno, que habita e trabalha em locais muitas vezes doentios e desequilibrados, vê-se privado dessa fonte maravilhosa de energias.

A competitividade, o individualismo e o estresse das grandes cidades agravam esse quadro e favorecem o vampirismo energético, onde todos sugam e são sugados em suas energias vitais. Procure, sempre que possível, estar junto à Natureza. Você também pode trazê-la para dentro de sua casa ou local de trabalho. Além de um ótimo recurso decorativo, as plantas humanizam os ambientes, nos acalmam e absorvem as energias negativas e poluentes.

10. PREGUIÇA, NEGLIGÊNCIA.

E falta de objetivos na vida. Esse ítem não requer muitas explicações: negligência com a sua vida denota também negligência com seus dons e potenciais e, principalmente, com sua energia vital. Aquilo do que você não cuida, alguém vem e leva embora. O resultado: mais preguiça, moleza, sono….

11. FANATISMO.

Passa um ventinho: “Ai meu Deus!!!! Tem energia ruim aqui!!!” Alguém olha para você: “Oh! Céus, ela está morrendo de inveja de mim!!!” Enfim, tudo é espírito ruim, tudo é energia do mal, tudo é coisa do outro mundo. Essas pessoas fanáticas e sugestionáveis também adoram seguir “mestres e gurus” e depositar neles a responsabilidade por seu destino e felicidade. É fácil, fácil manipular gente assim e não só em termos de energia, mas também em relação à conta bancária!

12. FALTA DE ACEITAÇÃO.

Pessoas revoltadas com a vida e consigo mesmas, que não aceitam suas vidas como elas são, que rejeitam e fazem pouco caso daquilo que têm. Esses indivíduos vivem em constante conflito e fora do seu eixo. E, por não valorizarem e não tomarem posse dos seus tesouros – porque todos nós temos dádivas – são facilmente ‘roubáveis’.
O importante é aprender a aceitar e agradecer tudo o que temos (não confundir com acomodação). Quando você agradece e aceita fica em estado vibracional tão positivo que a intuição e a criatividade são despertadas. Surgem, então, as possibilidades de transformar a vida para melhor!

Vera Caballero é Professora de Yoga, numeróloga, terapeuta floral, reiki master, massoterapeuta, ministra cursos e palestras sobre Bioenergias.

Articule sua mente
Observe a respiração

http://www.facebook.com/corpoinconsciencia

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

DE FRAGMENTADOS A INTEIROS




Investigações adicionais sobre a oposição Plutão/ Sol Negro ao longo de 2014
Sarah Varcas

Sendo um momento de oportunidade, no qual podemos experimentar tudo o que somos em nossa totalidade autêntica, o Sol Negro exige que acolhamos não só aquilo com que escolhemos nos identificar, mas também o que preferimos ignorar sobre nós mesmos!

Existem vários graus deste processo, e é preciso que não poupemos esforços na exploração dos recessos e periferia da nossa consciência. Podemos encontrar resistência interna diante da perspectiva dessa exploração, preferindo nos concentrarmos na autoestima, num mundo que frequentemente nos diz que não somos suficientemente bons, eficientes, atraentes, etc… e percebendo a investigação das nossas sombras como algo punitivo ou desnecessariamente negativo.

Mas autoestima sem autoanálise pode facilmente escorregar para o narcisismo, assim como autoanálise sem autoestima pode se transformar em autodepreciação. O caminho através do Sol Negro requer honestidade rigorosa; não culpa, recriminação ou punição, mas simplesmente a honestidade que nos possibilite acolher tudo o que nós somos, no maior ato de amor que um ser humano pode conhecer: aquele que nos transforma de fragmentados em inteiros e leva tudo para a luz da consciência de uma vez por todas.

É um processo de humildade que requer nossa disposição de enxergar em nós mesmos aquilo que até agora só conseguimos ver nos outros. Pois aquilo que percebemos como estando fora de nós geralmente é um reflexo do que se encontra nas profundezas escuras da nossa própria psique. Não é um caminho para os fracos de coração, embora todos os corações sejam bem-vindos e até a mais tímida olhadela para a escuridão do Sol Negro possa desencadear um processo de mudança do tipo que raramente, ou nunca, encontramos.

Enquanto Plutão forma sua oposição em fevereiro de 2014, Júpiter está em conjunção com o Sol Negro, e Vênus em conjunção com Plutão. Aqui temos uma bênção cósmica sustentando todas e cada uma das pessoas que ousarem olhar para dentro de si mesmas e ver o que e quem vive lá dentro.

O grau em que o Sol Negro se encontra – 13º grau de Câncer – é identificado por Dane Rhudyar, astrólogo e comentarista dos Símbolos Sabianos, como aquele que requer “grande força de vontade”. Portanto, não é de se surpreender que, neste momento de enormes mudanças, encontremos o Sol Negro aqui, onde ele permanecerá até meados do século XXI. Esta “grande força de vontade” deve ser usada para nos capacitar a atravessar este processo de transformação sem trapaças ou os autoenganos habituais, que nos mantêm a salvo em nossa própria complacência.

Esta vontade não é aquela do ego que diz: “Vou ofuscar o Sol Negro para deixá-lo sem ação, inflando os aspectos de mim mesmo que estou feliz de possuir, diante do seu convite para me observar mais profundamente.”

Não, esta é a vontade do Divino dentro de nós, que nos chama eternamente para a totalidade a qualquer custo. A vontade do Divino está aí para que a assumamos como nossa e entremos na escuridão libertadora. Uma vez que estejamos alimentados por essa vontade, não haverá mais nenhuma necessidade de ocultar nada, pois reconheceremos que, em nossa integralidade, estamos totalmente presentes e inegavelmente inteiros, independentemente de qualquer coisa.

Neste ano, aquele que escolher o caminho através do Sol Negro, tendo em vista o nascimento de uma totalidade profunda, rica e integrada, deve estar preparado para responder algumas perguntas:

· Até que ponto eu defino o amor de acordo apenas com o que sinto que seja correto?

· Até que ponto eu abraço o caminho espiritual em busca de um resultado que não seja o de conhecer minha própria essência?

· Até que ponto eu igualo “espiritual” a “especial”, enxergando minha vida como ligeiramente superior a daqueles que considero que não têm tal orientação?

· Em resumo: até que ponto eu permito que o ego molde meu caminho, mesmo quando percebo que ele está sendo moldado por algo totalmente diferente?

· Quando e como eu confundi Ego com Essência e construí uma vida espiritual não baseada na verdade incondicional, mas numa crença condicionada e estereotipada, independentemente de quão “alternativa” essa crença possam ser?

Ao nos encontrarmos na iminência da Era de Aquário, a contemplação dessas perguntas pode nos guiar para fora da sombra da Era de Peixes, da Vítima versus Salvador, do Especial versus Mundano, em direção à mensagem aquariana de unidade, igualdade e aceitação do interior e exterior.

Quanto mais capazes formos de ancorar essas qualidades na consciência coletiva neste momento, mais capazes seremos de evitar a sombra aquariana do esnobismo, no devido tempo!

Sarah Varcas


Por favor, respeite todos os créditos
http://stelalecocq.blogspot.com/2014/01/de-fragmentados-inteiros.html
Tradução de Vera Corrêa veracorrea46@ig.com.br
Fonte: http://astro-awakenings.co.uk/some-further-exploration-of-the-plutoblack-sun-opposition-throughout-2014
© Sarah Varcas. Todos os direitos reservados. É dada permissão para compartilhar livremente este artigo em sua totalidade, desde que seja dado todo crédito ao autor. E que seja citado o site onde este texto é oferecido gratuitamente: www.astro-awakenings.co.uk.

sábado, 18 de janeiro de 2014

Nossa linha de intenção, o Hara

hara6

O nível hárico é um salto quântico mais profundo na nossa natureza, e unia dimensão mais profunda do que a aura.

O nível hárico é o alicerce sobre o qual se apóia a aura. Eu o chamo de nível hárico porque ele é o nível onde está o hara. Hara é definido pelos japoneses como o centro de poder que se situa no ventre. Enquanto a aura está relacionada com a sua personalidade, o nível hárico está relacionado com as suas intenções. Ele corresponde à missão da sua vida ou à sua meta espiritual mais profunda. Ele é o nível do seu objetivo maior na encarnação e dos seus objetivos num dado momento. É aqui que você abriga e mantém as suas intenções.

O nível hárico é muito mais simples do que o campo áurico, que tem uma estrutura muito complicada. Ele consiste em três pontos dispostos ao longo de uma linha semelhante a um feixe de laser situado sobre a linha central de nosso corpo. Esse nível tem cerca de um centímetro de largura, e se estende desde um ponto situado cerca de um metro acima da cabeça até o centro da Terra. O primeiro ponto acima da cabeça parece um funil invertido. Sua extremidade larga, voltada para baixo, tem apenas cerca de um centímetro de largura. Ele representa a nossa primeira individuação fora da divindade, o momento em que pela primeira vez nos individualizamos a partir de Deus, para encarnar. Ele também encerra a função da razão e o motivo pelo qual encarnamos. É através desse local que nos ligamos à nossa realidade espiritual superior. Chamo esse local de ponto de individuação ou ponto 1D.

Se seguirmos a linha laser, até a parte superior do peito, encontraremos o segundo ponto. Trata-se de uma luz bela e difusa que corresponde às nossas emoções. Aqui, mantemos o nosso anseio espiritual, o sagrado anseio que nos conduz pela vida. Ele traz em si a paixão que sentimos ao realizar grandes coisas em nossa vida. Esse anseio é muito específico, e diz respeito à missão de nossa vida. Queremos cumpri-la. É isso o que desejamos fazer mais do que qualquer outra coisa na vida. É para isso que viemos ao mundo. Esse é o anseio que cada um de nós traz dentro de si, que nos faz sentir por que estamos aqui. Chamo esse ponto de sede do anseio da alma, sede da alma ou SA.

O próximo ponto da linha é o tan tien, como é chamado pelos chineses. Ele é o centro a partir do qual todos os praticantes de artes marciais se movimentam quando lutam. E a partir desse centro que os praticantes de artes marciais obtêm energia para quebrar blocos de concreto. Ele parece uma esfera de força ou o centro da existência, com cerca de seis centímetros de diâmetro. Esse centro está localizado cerca de seis centímetros abaixo do umbigo.

Ele é envolvido por uma espessa membrana e, por isso, pode se parecer um pouco com uma bola de borracha. Sua cor pode ser dourada. Esse é um centro de vontade, é o seu desejo de viver no corpo físico. Ele dá o tom para se manter o corpo físico num estado de manifestação física.

É com a sua vontade e com esse tom que você criou um corpo físico a partir do corpo da sua mãe, a Terra. É a partir desse centro que os curadores podem também fazer contato com uma grande energia para regenerar o corpo, desde que o curador assente a linha hárica no fundo, no núcleo fundido da Terra. Quando a linha hárica dos curadores penetra fundo na Terra, eles podem gerar uma grande energia. Quando usado para a cura, o Tan Tien pode adquirir uma cor vermelha viva, esquentar muito. Isso é o que significa estar ligado à Terra no nível hárico. Quando isso acontece e o Tan Tien fica vermelho, os curadores sentem intenso calor por todo o corpo.

Quando a sua intenção é bem definida no nível hárico, os seus atos nos níveis áurico e físico lhe proporcionam prazer. Ao longo deste livro, vamos analisar a disfunção no nível hárico (isto é, seu propósito e sua missão na vida) e sua relação com a saúde. Por exemplo: doenças podem ser causadas por objetivos obscuros, confusos ou conflituosos, ou por uma perda de contato entre o individuo e a missão da sua vida.

Muitas pessoas, especialmente nos países modernos e industrializados do mundo, sentem um grande sofrimento espiritual porque não sabem que têm um propósito na vida.

Elas não compreendem por que estão sofrendo, e não sabem que existe cura para esse tipo de dor espiritual. A falta de ligação com o propósito mais profundo de suas vidas manifesta-se no nível hárico, e elas podem ser curadas nesse nível.

O Hara existe numa dimensão mais profunda do que o campo áurico. Ele existe no nível da intencionalidade. Trata-se de uma área de poder dentro do corpo físico que contêm o Tan Tien. Foi com esta nota que você puxou o seu corpo físico a partir da Mãe Terra. É essa nota que torna possível a manifestação física do seu corpo. Sem essa nota, você não teria um corpo. Quando você muda essa nota, todo o seu corpo vai mudar. Seu corpo é uma forma gelatinosa que se mantém unida por meio dessa nota. Essa nota é o som que o centro da Terra produz.

A linha do hara liga-se a um ponto situado na parte superior do peito, que eu chamo de sede da alma. Às vezes, ele é chamado de coração superior e confundido com um chakra, coisa que ele não é. A sede da alma tem o aspecto de uma fonte de luz difusa que jorra em todas as direções. Ela geralmente tem de uma a duas polegadas de diâmetro mas, com a meditação, pode expandir-se e chegar a um diâmetro de 4,5 metros.

Aqui, carregamos nossos anseios espirituais que nos orientam na vida. Dentro dela, podemos encontrar tudo o que ansiamos ser, fazer, ou tudo aquilo em que nos tornamos, desde as menores coisas ou os mais breves momentos da nossa vida até a mais ampla escala vital. A linha do hara continua a descer em direção ao Tan Tien, na parte inferior do abdômen. O Tan Tien está localizado a cerca de quatro centímetrosabaixo do umbigo. Ele tem aproximadamente quatro centímetros de diâmetro e não muda de tamanho. Ele se parece um pouco com uma bola oca de borracha, por ter uma membrana.

Conforme Heyoan disse, o tom dessa nota é que possibilita a manifestação do nosso corpo físico. Essa nota é um harmônico do som emitido pelo núcleo fundido da Terra. Os curadores usam esse ponto como uma maneira de se ligarem a uma grande quantidade de energia. Ela os Liga à fonte de poder da Terra. O conceito de som sustentando a forma no mundo físico foi discutido no Capítulo 9. Nesse caso, a nota é mais do que um simples tom que possa ser ouvido através da percepção auditiva normal. Em vez disso, essa nota também existe na faixa da Percepção Sensorial Superior. Penso que ela signifique ainda mais que isso, mas ainda não sei o que seja. A coisa mais parecida com isso que já ouvi na faixa sonora normal é o grito que um mestre em karatê emite ao quebrar tijolos ao meio com um golpe leve. A linha do hara continua a descer a partir do tan tien e prossegue rumo ao centro do âmago da Terra. Aqui, estamos ligados à Terra e ao som que é o seu centro.

Aqui, novamente, o som significa mais do que apenas som. Ao contrário, ele provavelmente se refere a uma fonte de vida em vibração. Ligando-nos ao centro da Terra, a partir da linha do hara, podemos sincronizar as pulsações do nosso campo áurico com aquelas do campo magnético da Terra e, portanto, absorver energia do campo áurico da Terra.

Uma linha do hara saudável está localizada na linha central do corpo, e é reta, bem formada, energizada, e está firmemente ligada ao âmago da Terra. Cada um dos três pontos situados ao longo dessa linha estão equilibrados, alinhados e firmemente ligados uns aos outros ao longo da linha do hara. As pessoas com esta configuração são saudáveis, determinadas em seus propósitos e alinhadas com a sua missão na vida. Quando esse alinhamento é mantido, ele é holograficamente verdadeiro tanto num determinado momento como em todos os momentos da vida da pessoa.

A pessoa está imediatamente presente para as pequenas tarefas do momento e está ligada à tarefa maior que a envolve, como no modelo holográfico analisado no Capítulo 3. Essa pessoa consegue realizar a tarefa do momento no instante em que ela precisa ser feita, porque sabe como isso está ligado a todo o tempo e a toda tarefa.

Quando a nossa linha do hara está alinhada, você está sincronizado com o todo. Quando o seu nível hárico está saudável você vai sentir muita energia, integridade e propósito pessoal, porque você está sincronizado com o propósito universal. Nessas ocasiões é que você tem aqueles dias maravilhosos em que tudo flui harmoniosamente, como deve ser.

O sentimento de estar no seu hara é muito libertador. Nessa posição, não existe nenhum adversário. Depois que duas pessoas harmonizam os seus haras com o propósito universal, elas estão automaticamente alinhadas uma com a outra.

Seus propósitos estão ligados holograficamente. Cada propósito de cada momento liga-se a todos os propósitos imediatos e a todos os grandes propósitos de longo prazo.

Por outro lado, as pessoas que assumem posições opostas talvez não possam alinhar linhas do hara porque, para fazê-lo, elas precisam estar alinhadas com o propósito universal, que não tem adversários. Qualquer um que alinhe a linha do hara entra em harmonia automaticamente com os outros que alinharam as suas linhas.

Um pouco sobre a filosofia do Hara

Portanto, você está alinhado com o seu propósito e intenção positiva na exata medida em que você entrou em harmonia com a linha do hara. Você está alinhado com a sua intenção negativa na exata medida em que você não estiver alinhado com o seu nível hárico. Tudo isso é bastante simples.
A parte complicada é saber se você está ou não em harmonia. Se você tiver uma percepção sensorial superior desenvolvida, é possível fazer essa diferenciação usando a percepção sensorial superior para observar o campo hárico para ver se tudo está bem formado, alinhado, energizado e funcionando.

Uma outra maneira de saber isso é considerar o fato de que a pessoa que estiver em harmonia não vai discutir para saber quem está certo ou errado. A partir da perspectiva da pessoa, não existe nenhum adversário contra o qual discutir nem lutar. Se você se vir envolvido numa discussão, isso significa que você não está em alinhamento, O mesmo acontece com a pessoa com a qual você estiver discutindo, se ela reagir nos mesmos termos. Isso não significa que, estando em harmonia com seu hara, você simplesmente reconhece que a outra parte está certa e se afasta. Em vez disso, simplesmente não há nada o que discutir nem nada com que discordar. Sempre que você se vir envolvido numa discussão, a sua primeira providência deve ser concentrar-se e harmonizar-se com a linha do seu Hara. Discussões sobre quem está certo ou errado são travadas por pessoas que apresentam propósitos conflitantes dentro de si mesmas. Ou seja: parte delas está alinhada e parte não está. Esse desequilíbrio se manifesta na linha do hara. Essas partes interiores estão em conflito umas com as outras. Se usarmos os conceitos de Eu inferior, Eu superior e Eu mascarado, que mencionamos no Capítulo 1, poderíamos dizer que parte da psique poderia estar funcionando com qualquer combinação de cada um desses três aspectos. Esse é geralmente o caso. E muito raro estarmos operando totalmente a partir do nosso eu superior e, portanto, a partir de um chakra em harmonia. A discordância interior entre essas partes de nós mesmos manifesta-se no nível exterior na forma de discussão com uma outra pessoa. Nossos propósitos conflitantes também vão se materializar no mundo exterior na forma de dificuldades para criar ou realizar alguma coisa. Eles poderão se manifestar na forma de procrastinação ou de trabalho desleixado. Também poderão surgir entre duas pessoas que estejam trabalhando juntas num projeto e se manifestarem na forma de mal-entendidos, de confusão, de competição e de rompimento de contratos.

Por exemplo: se o propósito de cada pessoa for o de fazer com que um projeto seja levado a cabo da melhor forma possível, dentro do prazo e com a melhor qualidade, então isso provavelmente vai acontecer. Mas se um empregado pretende tomar o lugar do chefe, essa intenção negativa vai modificar a qualidade do trabalho e, automaticamente, prejudicar o chefe, mesmo se o empregado não tentar nada.

O Nível Hárico na Saúde e na Cura

O mesmo princípio do alinhamento com o seu propósito também é válido na saúde e na cura. Sempre que possível, você vai manter ou recuperar a sua saúde na exata medida em que permanecer alinhado com o seu propósito de manter ou de recuperar a saúde.

A distorção ao longo da linha do hara e os pontos situados ao longo dela descrevem a tremenda dor da humanidade. Essa é a dor que a humanidade sente mas não compreende. A disfunção, no nível hárico, está relacionada com a intenção e com a tarefa de vida. Muitas pessoas não chegam a saber - e muito menos a compreender - que criamos a nossa própria experiência de realidade.

Elas não compreendem a idéia de propósito ou missão de vida. Não compreendem a idéia de que as nossas intenções causam um grande efeito sobre a nossa vida. Não estão conscientes da sutil mas poderosa modificação que uma mudança de intenção causa no nosso campo áurico e no nosso fluxo de energia criativa.

Em qualquer doença séria e de longa duração, há sempre uma disfunção na linha hárica. Um curador treinado terá a capacidade de trabalhar no nível hárico para obter a cura. A cura do nível hárico implica trabalhar as questões mais profundas da intenção do paciente, incluindo o propósito em qualquer momento específico e as questões relacionadas com a missão de vida.

http://www.caminhantes2.com/a_linha_do_hara_67.html (baseado no livro Luz Emergente de Barbara Brennan.

sábado, 4 de janeiro de 2014

MARAVILLOSO TRANQUILIZANTE


La duración media de un abrazo entre dos personas es de 3 segundos. Pero los investigadores han descubierto algo fantástico. Cuando un abrazo dura 20 segundos, se produce un efecto terapéutico sobre el cuerpo y la mente. La razón es que un ...abrazo sincero produce una hormona llamada "oxitocina", también conocida como la hormona del amor. Esta sustancia tiene muchos beneficios en nuestra salud física y mental, nos ayuda, entre otras cosas, para relajarse, para sentirse seguro y calmar nuestros temores y la ansiedad. Este maravilloso tranquilizante se ofrece de forma gratuita cada vez que tenemos a una persona en nuestros brazos, que acunamos a un niño, que acariciamos un perro o un gato, que estamosbailando con nuestra pareja, cuanto más nos acercamos a alguien o simplemente sostenemos los hombros de un amigo.

Nicole Bordeleau

enviado por Gabriel

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

MULHERES CURADORAS

Erveiras, raizeiras, benzedeiras, mulheres sábias que por muito tempo andaram sumidas, ou até mesmo escondidas. Hoje retornam com um diploma de pós-graduação nas mãos e um sorriso maroto nos lábios.

Seu saber mudou de nome. Chamam de terapia alternativa, medicina vibracional, fitoterapia, práticas complementares...são reconhecidas e respeitadas, tem seus consultórios e fazem palestras.

As mulheres curadoras fazem parte de um antigo arquétipo da humanidade.

Em todas as lendas e mitos, quando há alguém doente ou com dores, sempre aparece uma mulher idosa para oferecer um chazinho, fazer uma compressa, dar um conselho sábio.

Na verdade, a mulher idosa é um arquétipo da ‘curadora’, também chamada nos mitos de Grande Mãe.Não tem nada a ver com a idade cronológica, porque esse é um arquétipo comum a todas as mulheres que sentem o chamado para a criatividade, que se interessam por novos conhecimentos e estão sempre a procura de mais crescimento interno. Sua sabedoria é saber que somos “obras em andamento’, apesar do cansaço, dos tombos, das perdas que sofremos... a alma dessas mulheres é mais velha que o tempo, e seu espírito é eternamente jovem.Talvez seja por isso que, como disse Clarissa Pinkola, toda mulher parece com uma árvore.

Nas camadas mais profundas de sua alma ela abriga raízes vitais que puxam a energia das profundezas para cima, para nutrir suas folhas, flores e frutos.

Ninguém compreende de onde uma mulher retira tanta força, tanta esperança, tanta vida.
Mesmo quando são cortadas, tolhidas, retalhadas, de suas raízes ainda nascem brotos que vão trazer tudo de volta à vida outra vez.
Por isso entendem as mulheres de plantas que curam, dos ciclos da lua, das estações que vão e vem ao longo da roda do sol pelo céu.

Elas tem um pacto com essa fonte sábia e misteriosa que é a natureza,. Prova disso é que sempre se encontra mulheres nos bancos das salas de aula, prontas para aprender, para recomeçar, para ampliar sua visão interior.

Elas não param de voltar a crescer...

Nunca escrevem tratados sobre o que sabem, mas como sabem coisas! Hoje os cientistas descobrem o que nossas avós já diziam: as plantas têm consciência! Elas são capazes de entender e corresponder ao ambiente à sua volta. Converse com o “dente-de-leão” para ver... comunique-se com as plantas de seu jardim, com seus vasos, com suas ervas e raízes, o segredo é sempre o amor.

Minha mãe dizia que as árvores são passagens para os mundos místicos, e que suas raízes são como antenas que dão acesso aos mundos subterrâneos. Por isso ela mantinha em nossa casa algumas árvores que tinham tratamento especial. Uma delas era chamada de “árvore protetora da família”, e era vista como fonte de cura, de força e energia. Qualquer problema, corríamos para abraçá-la e pedir proteção.
O arquétipo de ‘curadora’ faz parte da essência do feminino, mesmo que seja vivenciado por um homem. Isso está aquém dos rótulos e definições de gênero.

Faz parte de conhecimentos ancestrais que foram conservados em nosso inconsciente coletivo. Perdemos a capacidade de olhar o mundo com encantamento, mas podemos reaprender isso prestando atenção nas lendas e nos mitos que ainda falam de realidades invisíveis que nos rodeiam.
Lembre-se: onde você colocar sua percepção e sua consciência, a energia vai atrás.


Mani Alvarez Coordenadora do curso de pós-graduação em Práticas Complementares em Saúde

enviado por Leise

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Pequenas boas ações, sugestões para o novo ano!


Atitudes mínimas de tua parte assumem grande importância na vida cotidiana.

A visita ao doente que não te esperava a presença.

A atenção com que te disponhas a ouvir quem te procura.

O sorriso de simpatia que quebra arestas no relacionamento.

O incentivo a quem esteja começando uma tarefa.

A gentileza espontânea a um desconhecido na via pública.

A solidariedade a um vizinho em provação.

O socorro que fazes chegar a um parente que sabes em dificuldades.

Não te esqueças de que o amor é semelhante a uma árvore que, se hoje se mostra frondosa e carregada de frutos, um dia já foi semente.

enviado por Gabriel

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

O Livro de Urântia



Este livro traz preciosas revelações sobre Deus, o Universo, nosso planeta e a vida de Jesus. Veja mais no site:

http://www.urantia.org.br

Como e Quando surgiu o Livro de Urântia?

Os primeiros contatos que os seres superiores realizaram com o grupo de Chicago tiveram início por volta de 1911 e se estenderam até 1934, quando o livro foi entregue. A técnica utilizada pelos seres superiores foi única e jamais revelada. Quase todas as informações que existem daquela época são não-oficiais. Entretanto, há pessoas que tentaram organizar essa história e alguns artigos e livros podem ser encontrados sobre a origem de O Livro de Urântia. Podem ser encontrados alguns desses artigos no site da UAB - Urântia Associação do Brasil.

Vale dizer que o mistério da sua origem não deve ser fator importante na verificação da sua verdade ou qualidade. Cada um deve julgá-lo pelo seu conteúdo e pelos frutos espirituais que ele produz na vida do homem. O livro tem surpreendente autoverificação e consistência histórico-filosófica. Todavia, em última análise, o espírito de Deus que habita o interior do homem é a realidade fundamental que nos ajuda a atestar sua mensagem.

Do que se trata O Livro de Urântia?

Este livro é uma revelação para o homem. De tempos em tempos a humanidade é presenteada com revelações divinas, que a ajudam a evoluir rumo à perfeição, e pelo que consta no livro houve cinco grandes revelações. O Livro de Urântia é a mais recente delas. Há uma gama enorme de assuntos tratados no livro: desde os mais elevados, como Deidade, Divindade, Trindade, suas coligações e manifestações; como também de temas menores como: geologia, história, cosmologia, evolução... O livro apresenta uma nova visão sobre ciência, filosofia e religião, sendo talvez a mais clara e concisa integração destes assuntos disponível para o homem moderno.

Isto é uma nova religião?

Não. O livro defende uma religião pessoal, individual; ensina que os homens devem buscar uma sintonia direta com Deus, independentes de sacerdotes, mestres, gurus ou qualquer outra forma de intermediação religiosa, seja humana ou institucional. O Livro de Urântia tem sido uma fonte de inspiração e conhecimento para muitos, entretanto, não surgiu até hoje nenhuma religião formal desses ensinamentos. Grupos de estudo, fundações, associações continuam surgindo, mas nenhuma dessas instituições é religiosa.

O que é Urântia?

Urântia é o nome deste planeta que conhecemos por Terra. A terceira parte do livro narra com detalhes toda a história do nosso mundo, e, de acordo com estas informações, ele recebeu esse nome há quase um bilhão de anos, época em que foi registrado nos arquivos do superuniverso. Daí vem o nome "O Livro de Urântia" que tem o mesmo significado de "O Livro da Terra".

Qual o grande objetivo dessa revelação?

É expandir a consciência cósmica e elevar a percepção espiritual do homem, preparando-o para as novas etapas deste caminho de evolução eterna, cada vez mais para cima e mais próximo de Deus. O livro é uma fonte de verdade, beleza e bondade que tem potencial para nutrir espiritualmente toda a humanidade durante os próximos mil anos.

Quem escreveu o Livro de Urântia?

O que temos conhecimento é que O Livro de Urântia foi escrito por seres superiores e que não há qualquer participação humana em seu conteúdo. Informações sobre seus autores estão dentro do próprio livro, entretanto não há muitos detalhes. O que sabemos é que um grupo de seres espirituais, proveniente da capital do superuniverso, foi designado para escrevê-lo e entregá-lo à raça humana. Esses seres entregaram a obra completa a um grupo de pessoas, em Chicago, EUA. Ao final de cada documento consta o nome do seu autor correspondente.

Related Posts with Thumbnails